terça-feira, 20 de janeiro de 2009

O ciúme

Migra para o meu coração
um sentimento,
que vem chegando e invadindo-me
Como um vulcão.

Desprende-se em larvas,
abri fendas,
queima, acende as labaredas.

Mata os campos floridos
do meu ser,
o gramado verde, as florestas
de minh’alma.
Tudo parece morrer...

É o ciúme se fazendo presente.
Arrepiando grotescos gravetos,
secando fontes e deixando a terra seca.
Escorrendo pelo corpo e possuindo a mente.

Ciúme maltrata a gente...

1 comentários:

Llyz! disse...

Olá Zeus...
Boa Noite!
Sem querer entrei aqui no seu cantinho...muito bacana.
parabéns viu?
O poema " Ciumes", é lindo!!
Fique com Deus.
Llyz!

Nossos Visitantes